Cobertura fotojornalística do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, com Isis Medeiros

A professora de fotojornalismo da PUC São Gabriel, Adriana Ferreira organizou um evento sobre os Fundamentos da Investigação Jornalística, com base no trabalho realizado pela fotojornalista Isis Medeiros após o rompimento da Barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, no dia 25 de janeiro de 2019. Ela, que é formada em Design pela UEMG, também trabalha com publicações impressas e revistas eletrônicas no Brasil e no exterior. Ao assistirem a palestra em que Isis conta suas experiências com esse tipo de cobertura, os alunos vão iniciar um trabalho acadêmico em Brumadinho, para conhecer os moradores do local afetado e recuperar suas histórias de vida, antes do rompimento da barragem. A maioria dos moradores da região afetada perderam além dos entes queridos, também toda e qualquer referência à sua própria história, tais como fotos, documentos e objetos pessoais. As histórias narradas serão editadas em um livro/revista, que será posteriormente devolvido à cada um dos entrevistados, para que através da memória coletiva, consigam se reerguer.
 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

As buscas por atingidos continuaram durante todo sábado(26), dois dias após o crime da mineradora Vale. Familiares e amigos de pessoas desaparecidas vieram ver de perto o trabalho de resgate do corpo de bombeiros, da polícia civil e de grupos de brigadistas voluntários. Várias vítimas fatais iam sendo resgatadas e trazidas para reconhecimento na capela da comunidade e logo após encaminhadas para o IML em Belo Horizonte. Ao final do dia o corpo de bombeiros somava um total de 40 resgates desde que começaram a ação. . Hoje cedo as sirenes da empresa acionaram alarmando a comunidade para mais um possível risco. As buscas pararam por causa da possibilidade de mais um rompimento de uma barragem de água da mineradora localizada acima da barragem abalada. A população ficou sem informações concretas, mesmo alertada a deixar o lugar. Caso se rompa, a represa fará um estrago ainda maior na região. . 26/01 | Comunidade Lago do Feijão, Brumadinho (MG) #Brumadinho #Vale #Mineração #NãoFoiAcidente #CrimeAmbiental #ValeAssassina

Uma publicação compartilhada por Isis Medeiros (@isismedeiros_photo) em

Podcast: Palestras

Organização: Professora Adriana Ferreira / Jornalismo PUC Minas São Gabriel
Palestrante: Isis Medeiros
Gravação: Raíssa de Oliveira
Edição:
 Alexandre Morato
Foto: Luis Siqueira


Comente